TCE-RJ aponta irregularidades no contrato do hospital de campanha de Quissamã

A empresa ABM Saúde, que montou o Hospital de campanha de Quissamã durante a pandemia, foi declarada inidônea, pelo prazo de um ano, pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).


O TCE-RJ considerou que houve uma ação combinada entre a empresa e a prefeitura de Quissamã para a montagem do hospital.


A empresa e a Prefeitura firmaram contrato, em março de 2020, no valor de R$ 2,12 milhões para fornecimento de equipamentos, insumos e mão de obra especializada para instalação de hospital de campanha com 10 leitos de UTI, em decorrência da pandemia de Covid-19.




2 visualizações0 comentário