Natal pesará mais no bolso do consumidor; carnes já subiram 30%, e dólar vem impactando preços

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,7% no trimestre encerrado em julho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A inflação anual é projetada em 8,5% pelo Banco Central (BC). E os insumos que impactam cadeias logísticas encareceram: o aço, 97%, e o plástico, 40%, por exemplo. Estes são alguns dos fatores que, segundo especialistas, devem compor o cenário de um Natal pior do que o de 2020 para os consumidores brasileiros.


A alta do dólar também têm impacto direto no preço de alguns itens que costumavam ser os queridinhos das ceias (azeite, bacalhau, vinho, frutas cristalizadas e azeitonas).

Para o fim de ano, entretanto, há uma expectativa de que os varejistas recebam produtos entre 7% e 10% mais caros, repassando as altas para os consumidores, consequentemente.

Fonte: Extra




5 visualizações0 comentário